Sustentabilidade e produção de alimentos: uma combinação pelo futuro

Sustentabilidade e produção de alimentos: uma combinação pelo futuro

Hoje em dia é impossível pensar em produção agrícola de maneira desconectada da sustentabilidade. Mas, nem sempre foi assim. No Brasil, o agrônomo e ex-ministro da Agricultura Alysson Paolinelli foi um dos pioneiros em projetos sustentáveis em grande escala para a produção de alimentos.

Indicado ao Prêmio Nobel da Paz 2021 por suas significativas contribuições para o desenvolvimento de uma agricultura tropical sustentável, Paolinelli ajudou a fortalecer o quadro de segurança alimentar, transformando o Brasil em uma das potências agrícolas mundiais a partir dos anos 1970.

A partir desta verdadeira revolução verde, a modernização tecnológica entrou de vez na realidade do produtor nacional que pôde se beneficiar de recursos fundamentais para melhorar produtividade no campo, sem que isso significasse aumentar proporcionalmente a área cultivada.

Neste sentido, a reformulação promovida por Paolinelli na Embrapa, uma das principais parceiras da Syngenta em iniciativas de desenvolvimento agrícola, foi fundamental. O órgão intensificou sua relação com o meio acadêmico e de pesquisa, contribuindo cada vez mais para a interação de técnicas e conhecimentos ecológicos nos processos produtivos, beneficiando o meio ambiente.

Graças a essa nova perspectiva, o manejo adequado da agrobiodiversidade ganhou fôlego conciliando produtividade, rentabilidade e práticas conscientes de sustentabilidade que contribuem para o combate às mudanças climáticas e seus efeitos. Com a valorização no mercado internacional de alimentos produzidos com o mínimo efeito ambiental negativo, a revolução verde de Paolinelli foi fundamental para assegurar e ampliar a competitividade dos produtos brasileiros no exterior.

O Plano de Agricultura Sustentável (Good Growth Plan) da Syngenta é um exemplo de como o manejo agrícola sustentável pode ser bem sucedido na prática. Lançado em 2013, o Plano integra a Rede ILPF (Integração Lavoura Pecuária Floresta) e estabelece metas para apoiar o desenvolvimento de técnicas agrícolas mais sustentáveis, por meio de muita inovação.

Na primeira fase do Plano, concluída em 2020, melhorarmos a fertilidade de 14,1 milhões de hectares de terras cultiváveis ameaçadas pela degradação, superando nossa meta inicial de 10 milhões de hectares.

A Syngenta reconhece a importância da atuação de Paolinelli na quebra de paradigmas para conciliar produtividade e sustentabilidade na produção de alimentos – abrindo caminho para iniciativas como nosso Plano de Agricultura Sustentável – e integra a Rede Paolinelli Nobel da Paz 2021, aliada a instituições acadêmicas e do agronegócio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *