Solo: elemento-chave na busca por uma agricultura neutra em carbono

Solo: elemento-chave na busca por uma agricultura neutra em carbono

O solo é extremamente importante, não só para a agricultura, mas para a manutenção da vida na Terra. Sua saúde interfere na manutenção da vegetação –tanto nas plantações, quanto nas florestas –, coopera com a biodiversidade da fauna e impacta até mesmo o ciclo da água. Além disso, a habilidade de produzir alimentos depende da saúde do solo.

A agricultura é responsável por 1/3 de toda a emissão de gases poluentes. A aragem em excesso e a degradação do solo são dois dos fatores que liberam o carbono armazenado no solo para a atmosfera, o que aumenta os efeitos do aquecimento global. De acordo com estimativas, há potecial para que a agricultura reduza sua pegada de carbono em cerca de 12% nas emissões de gases do efeito estufa.

Há muito tempo, nós, da Syngenta, temos trabalhado junto a agricultores de todo o mundo para melhorar a saúde do solo, por meio de tecnologias, serviços e treinamentos.

Ao realizar o manejo do solo de forma sustentável, é possível ajudar a reduzir o impacto nas mudanças climáticas, ao mesmo tempo em que o solo retém seus nutrientes e qualidades físicas. Com isso, a agricultura também fica mais resiliente aos desafios impostos pelas mudanças climáticas.


Nosso Plano de Agricultura Sustentável

De 2013 a 2019, durante a primeira fase de nosso Plano de Agricultura Sustentável, trabalhamos ativamente para melhorar a fertilidade de 10 milhões de hectares de terras cultiváveis que estavam à beira da degradação. No fim de 2019, havíamos beneficiado 14,1 milhões de hectares em todo o mundo, sendo 6,3 milhões deles no Brasil.

No Brasil, começamos a trabalhar com a proteção e restauração de florestas em regiões agrícolas, em 2007, com um projeto para mapear a produção de soja no Mato Grosso. Em 2009, trabalhamos no Soja+Verde, que alia conservação da fauna e da flora com a agricultura. Incentivamos também o plantio direto e a agricultura conservacionista, em parceria com o Estado do Rio Grande do Sul. E a Embrapa é nossa parceira na implantação do ILPF (Integração-Lavoura-Pecuária-Floresta).

Na segunda fase de nosso Plano de Agricultura Sustentável, estamos expandindo os nossos esforços em busca de uma agricultura neutra em carbono, criando três novas metas:

  • Mensurar e viabilizar o sequestro de carbono e redução de emissões na agricultura;
  • Aumentar a biodiversidade e a saúde do solo em 3 milhões de hectares por ano;
  • Reduzir a intensidade de emissão de carbono de nossas operações em 50% até 2030.

Práticas conservacionistas, com pouco revolvimento do solo, rotação de culturas e cobertura permanente do solo são algumas das medidas que ajudam na redução e sequestro de carbono. Para cumprir essas metas, incluímos algumas iniciativas que tratam especificamente da recuperação do solo:

 

Programa Reverte

De acordo com estimativas da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB), para atender a demanda mundial pela soja, em 2030, será necessária uma área de pouco mais de 7 milhões de hectares para o plantio do grão no Cerrado.

Nossa parceria com a ONG The Nature Conservancy (TNC) no programa Reverte tem o objetivo de tornar 1 milhão de hectares de pastos degradados aptos para a agricultura na região do Cerrado, até 2025, evitando que áreas sejam desmatadas para lavouras e colaborando para a preservação do meio ambiente. Além da conservação do Cerrado, outro benefício são as emissões de carbono evitadas, que podem ser estimadas nesta calculadora.

“Recuperar terras resulta em uma agricultura regenerativa e resiliente frente às questões climáticas, como o sequestro de carbono, recuperação do solo e eficiência hídrica”, destacou Giovana Baggio, Gerente de Agricultura Sustentável da TNC no Brasil.

 

SAFF

Ao implantar a integração lavoura- pecuária-floresta (ILPF) em suas propriedades e certificá-las, os agricultores brasileiros poderão obter taxas menores de juros e ajudar a aumentar a sustentabilidade da agricultura brasileira, por meio do SAFF (Sustainable Agriculture Finance Facility).

Continue acompanhando o nosso blog para conhecer mais iniciativas de nosso Plano de Agricultura Sustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *