Resultados GGP 2016

Resultados GGP 2016

Em 1989, a Organização das Nações Unidas instituiu o Dia Mundial da População, para ser comemorado durante o 11 de julho. Essa foi uma das formas da organização de chamar a atenção para o crescimento da população global que, dois anos antes, em 1987, alcançava os 5 bilhões de habitantes.

De lá pra cá, a população mundial continuou crescendo e estima-se que, até 2040, teremos 9 bilhões de pessoas no planeta. Nesse contexto, o grande desafio para a agricultura é encontrar formas de alimentar toda essa população de forma sustentável, sem precisar de mais terras ou insumos.

Bem, foi com esse quadro que criamos o nosso Plano de Agricultura Sustentável, lá em 2014. Nele, assumimos seis ambiciosos compromissos a serem cumpridos até 2020, com foco na evolução da sustentabilidade na agricultura e no desenvolvimento das comunidades rurais, em prol de uma agenda positiva para a segurança alimentar global.

E agora, aproveitando a ocasião, iremos compartilhar com vocês os números auditados referentes ao terceiro ano do nosso Plano de Agricultura Sustentável (The Good Growth Plan, ou simplesmente GGP), assim como fizemos nos anos anteriores.

Em 2016, aproximadamente 7 milhões de trabalhadores rurais foram treinados com foco no uso correto e seguro de nossas tecnologias, o que faz com que o acumulado de treinamentos realizados desde o lançamento do Plano de Agricultura Sustentável, supere a marca de 17 milhões. Desse total, 70% são aplicados junto aos pequenos produtores e em países em desenvolvimento. No Brasil, o acumulado atingido foi superior a 663 mil pessoas treinadas.

Também no último ano, por meio dos nossos projetos e parcerias, preservamos os solos e melhoramos a biodiversidade de um total de 9,2 milhões de hectares de terra, desenvolvendo positivamente os habitats de 34 países. Desde o lançamento do Plano no Brasil, mais de 637 mil hectares de solo foram preservados e mais de 3,5 milhões de hectares tiveram sua biodiversidade fomentada.

No que se refere à recuperação de terras no país, merece destaque a parceria firmada entre a Syngenta e a The Nature Conservancy (TNC), que contribui anualmente para os números por meio do projeto Soja + Verde.

Como exemplo de engajamento de sucesso promovido por meio deste projeto, vale mencionar Luciane Copetti, produtora e Secretária de Meio Ambiente, do município de Lucas do Rio Verde (MT), uma das áreas mais importantes no Brasil em termos de produção de soja. Ela tem exercido um papel essencial de influenciadora, liderando a mobilização de produtores, governos, ONGs e empresas no que se refere à conservação de florestas entre as diversas fazendas da região.

Outros dados importantes que marcaram o progresso do Plano em 2016, e que também merecem destaque referem-se ao aumento de produtividade – mantivemos a média de 5,7% de acréscimo, em comparação ao ano de 2014, nas principais culturas brasileiras – e ao acesso a pequenos produtores, que desempenham um papel essencial para a segurança alimentar – em 2016, 136.500 foram abordados com foco no acesso às nossas tecnologias e serviços.

Agora, levando em consideração apenas os resultados brasileiros de 2016, temos os seguintes resultados, para cada compromisso:

Tornar as culturas mais eficientes: aumentar a produtividade média das principais culturas do mundo em 20% sem usar mais terras, água ou insumos.

No Brasil, o aumento médio de produtividade foi de 5,7%, em comparação ao ano de 2014, considerando as principais culturas: soja, milho, tomate, café e cana-de-açúcar.

Recuperar terras degradadas: melhorar a fertilidade de 10 milhões de hectares de terra à beira da degradação.

Em 2016, os dados obtidos por meio dos programas da Syngenta colaboraram para o resultado cumulativo de 637 mil hectares de solo preservados, desde o lançamento do Plano de Agricultura Sustentável, em 2013.

Promover a biodiversidade: melhorar a biodiversidade em 5 milhões de terras agrícolas.

Mais de 3,5 milhões de hectares tiveram sua biodiversidade fomentada no Brasil, desde 2013. Dentre os projetos que colaboram anualmente para a evolução deste compromisso, vale destacar os que têm foco na coexistência entre apicultura e agricultura e, por consequência, na disseminação de informações sobre a polinização, tema cujo interesse não se restringe ao campo, mas que envolve a sociedade como um todo.

Capacitar pequenos agricultores: alcançar 20 milhões de pequenos produtores para aumento da produtividade em 50%.

No último ano, a Syngenta alcançou 136.500 pequenos agricultores no Brasil, permitindo que eles tivessem acesso não apenas às tecnologias, mas aos serviços de assistência técnica com foco na aplicação das boas práticas agrícolas.

Promover a segurança das pessoas: treinar 20 milhões de trabalhadores rurais em segurança do trabalho, especialmente nos países em desenvolvimento.

Desde o lançamento do plano, a Syngenta e seus parceiros no Brasil treinaram mais de 663 mil trabalhadores rurais, disseminando informações essenciais para o uso correto e seguro de tecnologias agrícolas.

Cuidar de cada trabalhador: promover condições justas de trabalho em toda cadeia de produção impactada pela Syngenta.

Desde o último ano, 100% da rede Syngenta de produtores de sementes passou a fazer parte do programa Fair Labor.

Comentários

Comentários

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

77 + = 79