Plantio Direto

Você já ouviu falar sobre o plantio direto?

É um sistema de manejo, que oferece mais sustentabilidade para a produção agrícola. Nele, os restos dos vegetais formam uma palha que recobre a superfície do solo, protegendo contra processos que podem danificá-lo, como a erosão, e aumentando sua fertilidade. Em seguida, a semente é depositada, sem que ocorra aragem ou gradagem.

Nesse processo, onde também deve ocorrer a rotação de culturas, há diversos benefícios, como a diminuição dos custos de produção, enriquecimento do solo com nutrientes e a redução de sua temperatura e aumento da retenção de água no solo, além de evitar o assoreamento dos rios. Em média, esse sistema reduz em 75% as perdas de solo e 20% de água. Além de tudo isso, também contribui para o meio ambiente, pois diminui a utilização do maquinário necessário no plantio convencional, diminuindo a liberação de gases poluentes na atmosfera, que ocorrem por meio da queima de combustíveis.

A técnica do plantio direto é um dos meios utilizados na integração entre lavoura, pecuária e floresta, para recuperação de pastagens degradadas. Ela chegou ao Brasil nos anos 70, iniciando na Região Sul, espalhando-se pelo País e se fazendo presente em aproximadamente 25 milhões de hectares, de acordo com o site da Embrapa (www.embrapa.br).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *