O papel social da Segurança Alimentar no mundo

O papel social da Segurança Alimentar no mundo

A segurança alimentar envolve quatro elementos fundamentais: disponibilidade, estabilidade, acesso e consumo nutricionalmente adequado. Estabelecido na década de 1970, o conceito atualmente engloba não apenas o acesso da população mundial aos alimentos, mas também variáveis econômicas e socioculturais.

O relatório O Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2020, elaborado pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (da sigla em inglês FAO), revelava que 47,7 milhões de pessoas sofreram com a fome na América Latina e no Caribe em 2019. Apesar de o documento ainda não considerar o impacto da Covid-19 no mundo, já evidencia a relevância do debate sobre segurança alimentar e suas implicações não somente na saúde dos indivíduos, mas também no desenvolvimento econômico e na estabilidade política e social em diferentes países.

Sendo o combate à fome um desafio global, a contribuição do brasileiro Alysson Paolinelli em favor da segurança alimentar é um dos fatores que levaram à sua indicação ao Prêmio Nobel da Paz 2021. Ex-ministro da Agricultura, o agrônomo brasileiro encabeçou uma verdadeira revolução agropecuária que permitiu ao país passar de importador para exportador a partir dos anos 1980, assumindo o papel de “fiel da balança” do mercado internacional de produção de alimentos.

Parceira da Syngenta em diversos projetos, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) foi um dos órgãos beneficiados pelo compromisso de Paolinelli com a utilização da ciência como instrumento para alavancar o desenvolvimento agropecuário aliado às questões de sustentabilidade. Como resultado, a agricultura tropical sustentável se desenvolveu no Brasil.

A partir da valorização do bioma Cerrado como celeiro nacional e com a consequente evolução dos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) regionais, os conceitos de Paolinelli ganharam o mundo. A modernização do sistema agrícola na região tropical possibilitou que os produtos dessa zona se tornassem mais competitivos em relação à qualidade e preço, contribuindo para melhorar a segurança alimentar em países de renda baixa e média.

A postura visionária de Paolinelli possibilita que os efeitos da transformação gerada por suas iniciativas conversem diretamente com 12 dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU):

  • ODS 1 – Erradicação da Pobreza
  • ODS 2 – Fome Zero e Agricultura Sustentável
  • ODS 3 – Saúde e Bem-Estar
  • ODS 7 – Energia Acessível e Limpa
  • ODS 8 – Trabalho Decente e Crescimento Econômico
  • ODS 9 – Indústria, Inovação e Infraestrutura
  • ODS 10 – Redução das Desigualdades
  • ODS 12 – Consumo e Produção Responsáveis
  • ODS 13 – Ação contra a Mudança Global do Clima
  • ODS 15 – Vida Terrestre
  • ODS 16 – Paz, Justiça e Instituições Eficazes
  • ODS 17 – Parcerias e Meios de Implementação

A Syngenta participa da Rede Paolinelli Nobel da Paz 2021, aliada a instituições acadêmicas e do agronegócio no apoio à indicação do ex-ministro à premiação. Alinhado à revolução verde de Paolinelli, nosso Plano de Agricultura Sustentável (Good Growth Plan) integra a Rede ILPF (Integração Lavoura Pecuária Floresta) e contribuiu para o esforço mundial pelo desenvolvimento de uma agricultura cada vez mais integrada à agenda sustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *