Em 2022, a agenda de sustentabilidade ganhará ainda mais força

Em 2022, a agenda de sustentabilidade ganhará ainda mais força

Ao longo dos anos, lideramos e integramos diversos projetos de incentivo à sustentabilidade, às energias limpas, bioeletricidade e outros. Em 2013, lançamos, globalmente, o Plano de Agricultura Sustentável, o Good Growth Plan, em que estabelecemos seis ambiciosos compromissos com metas mensuráveis e auditadas para apoiar a sustentabilidade na agricultura e o desenvolvimento das comunidades rurais.

Neste ano, focaremos em quatro pilares prioritários para evoluirmos com nossa agenda de sustentabilidade: produção, logística, fornecedores e clientes. Isso porque acreditamos que é extremamente necessário impactar todos os públicos envolvidos em nosso dia a dia, na cadeia da qual fazemos parte.

 

Alguns exemplos são:

 

  • Produção: trabalho de reuso de água tratada no site de Paulínia, estação de tratamento de efluentes, gestão de uso de embalagens.
  • Logística: reuso de água, redução do uso de papéis, troca de lâmpadas nos armazéns de pallets por led e utilização da malha ferroviária eliminando o uso de CO2.
  • Fornecedores: engajamento dos fornecedores de químicos na causa, conscientização do uso de embalagens e logística reversa.
  • Clientes: projetos colaborativos, melhor aplicação de produtos com redução da quantidade utilizada, iniciativa no desenvolvimento de uso de tanques nos clientes que possam viabilizar o armazenamento e reduzir as embalagens.

 

“Continuaremos os trabalhos principalmente no que tange a cultura da sustentabilidade, em fábricas com a redução do uso de água, incentivo aos fornecedores a terem operações cada vez mais limpas em que testaremos caminhões híbridos e elétricos, por exemplo. Além disso, há o projeto de talhão digital em que o cliente disponibilizará uma área para utilizarmos como piloto para fazermos a aplicação dos produtos com a menor emissão de CO2 possível. Teremos, também, diversas ações de monitoramento para acompanhar a melhoria contínua dos nossos indicadores”, afirma Mirella Mafra, Gerente de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Syngenta no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *