E aí, morcego!?

E aí, morcego!?

Vez ou outra, em nossa página, falamos sobre a importância da polinização para a agricultura e, na maioria das vezes, a grande estrela dessas publicações é a abelha. É verdade que esse inseto é responsável pelo maior número de polinizações no mundo, mas ele não trabalha sozinho.

No turno da noite, quando as abelhas estão em suas colmeias, o grande responsável por realizar essa tarefa é o morcego!

Esqueça os vampiros bebedores de sangue dos filmes. Na realidade, das mais de 1.200 espécies de morcegos existentes, apenas 3 são hematófagas (que se alimentam de sangue). E, mesmo assim, nenhuma delas de sangue humano, mas sim de bois e aves. O restante mantém uma dieta baseada, majoritariamente, em frutos, insetos e pólen.

E é graças a essa alimentação que os morcegos são grandes aliados dos agricultores. Isso porque, resumidamente: os que comem frutos espalham sementes, ajudando no reflorestamento de florestas; os que preferem insetos, como besouros, grilos, baratas e gafanhotos, ajudam a controlar a população de insetos nas lavouras; e os que consomem pólen, você já sabe, garantem a polinização de diversos frutos.

No total, mais de 500 plantas são beneficiadas por esse trabalho, entre elas: a banana, o pêssego e a manga, por exemplo. Outra cultura que depende desses animais e que muitos dos nossos leitores devem conhecer (já fizemos uma matéria sobre ela) é o agave, a matéria-prima da tequila.

Quanto às visitinhas que o morcego dá…

Ao contrário das plantas polinizadas pelas abelhas, que oferecem fortes aromas, cores vistosas e formas chamativas, as plantas visitadas pelos morcegos têm apenas uma qualidade indispensável: elas são repletas de néctar! Dessa forma, mesmo as plantas que não chamam a atenção das abelhas e de outros polinizadores durante o dia conseguem se manter ativas.

Por isso, não fique assustado quando vir um morcego. Pense nele como o polinizador que trabalha no turno da noite. Preservá-los também é importante. 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *