Dia Internacional do Milho: entenda a importância deste cultivo

Dia Internacional do Milho: entenda a importância deste cultivo

O milho é um dos principais cereais na alimentação humana e animal. Produzido em todo o mundo, há aproximadamente 8,7 mil anos, contém grande quantidade de carboidratos e é fonte essencial de energia.

Sua importância para a nutrição reflete em seu peso na economia mundial, especialmente a brasileira: dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontam para uma produção de 94 milhões de toneladas na safra total (safrinha e verão) 2018/2019, bem como estimam uma alta de 2,3% na segunda safra (safrinha) 2019, que está em curso.

O incentivo à esta cultura, aqui e em diversos países, foi a motivação para a criação do Dia Internacional do Milho, comemorado em 24 de abril.

A produção de milho é tão relevante, para a economia brasileira, que compreende duas épocas de plantio: a safra regular (verão) e a safrinha. Os plantios da safra de verão são efetuados de agosto a dezembro, com colheita de novembro a março. Já na safrinha, os plantios são realizados normalmente após a colheita da soja precoce, no período de janeiro a março, e a colheita é entre abril e junho. “A área plantada da safrinha cresceu 7% em relação ao ano passado, perfazendo 12,5 milhões hectares”, explica William Weber, Gerente de Marketing Sementes de Milho da Syngenta.

Maior inovação da última década para proteção do milho contra pragas e ervas daninhas

Você já ouviu falar da biotecnologia Agrisure Viptera? Resultado do investimento em pesquisas de desenvolvimento que objetivam acompanhar a crescente demanda do mercado e atender as necessidades do produtor rural, essa tecnologia da Syngenta é incorporada ao DNA de diversos híbridos de milho: uma combinação de proteínas que protegem as plantas durante todo o seu ciclo de vida, sobre o solo, controlando as principais lagartas alvo para a cultura. Segundo Weber, é maior inovação tecnológica desde 2011. “Outras já foram lançadas nesse período, mas que não se sustentaram. Viptera é a única que segue firme, trazendo muitos benefícios aos agricultores, como mais segurança, produtividade, economia e tranquilidade”.

Maior durabilidade e eficiência da biotecnologia

Para prolongar a vida útil das mais diversas biotecnologias desenvolvidas é necessário que se cumpra os processos e as práticas referentes a sua manutenção: entre essas técnicas uma que se destaca é mesclar o plantio de sementes convencionais ao de sementes geneticamente modificadas, em uma proporção de aproximadamente um para nove, respectivamente, em volume. Desta forma reduzindo as chances das pragas, controladas atualmente pela biotecnologia, desenvolverem resistência, perpetuando a eficiência das sementes.

2 comentários

  1. Elci Cruz de Oliveira diz:

    O importante e termos plena certeza que esses artificios com a planta nao comprometa a seguranca alimentar sob nenhum aspecto , e portanto a vida .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *