Conheça os benefícios do plantio de refúgio agrícola e entenda como adotá-lo em sua plantação

Conheça os benefícios do plantio de refúgio agrícola e entenda como adotá-lo em sua plantação

A incidência de pragas nas lavouras provoca perdas significativas na produtividade dos cultivares. O uso de defensivos agrícolas é importante, mas a adoção de boas práticas agronômicas contribui para uma cadeia mais sustentável no sistema de produção de alimentos, e é fundamental para não comprometer a eficiência dessa proteção a longo prazo.

O Refúgio Agrícola é uma técnica que consiste na plantação de um percentual de sementes não-Bt* (Bacillus thuringiensis) – plantas desenvolvidas com a utilização de biotecnologia- em uma área de plantio transgênico. O refúgio pode ser realizado em lavouras Bt de soja, milho, algodão e cana-de-açúcar. Sua utilização ajuda a retardar, e pode até evitar, que populações de pragas resistentes aos defensivos utilizados se desenvolvam.

O primeiro ponto a ser destacado sobre a importância do Refúgio diz respeito a uma característica genética dos insetos-praga. Naturalmente, existem alguns mais e outros menos suscetíveis à proteína Bt. Isso significa que, caso a técnica não seja adotada, a longo prazo, corre-se o risco de que, por meio do processo de seleção natural, os indivíduos resistentes tornem-se maioria em uma área de cultivar.

O resultado da perda de eficiência dos defensivos acarreta não somente a redução de produtividade, mas, por consequência, queda significativa na rentabilidade e retorno financeiro das plantações.

Antes de iniciar o Refúgio, é recomendável que se faça uma dessecação prévia cerca de um mês antes do início do plantio. A dessecação é feita pela aplicação de herbicidas que fazem ervas daninhas e restos de culturas anteriores secarem.

Após a dessecagem, o Refúgio pode ser implementado seguindo as recomendações a seguir:

  • O plantio de sementes Bt e não-Bt deve ser feito na mesma época e propriedade;
  • A porcentagem recomendada de sementes não-Bt em relação à área total plantada é: 10% para milho e 20% para culturas de algodão, soja e cana-de-açúcar;
  • O limite máximo entre a lavoura transgênica e a área de refúgio é de 800 m de distância;
  • As plantas devem ser da mesma espécie das Bt;
  • Preferencialmente, mantenha o sistema de produção;
  • Áreas pertencentes a propriedades vizinhas que pratiquem a técnica não devem ser consideradas nos cálculos

Os trechos de refúgio podem ser plantados em três tipos de disposições principais: área, bloco ou bordadura/perímetro. A escolha da disposição deve levar em consideração as condições dos talhões de plantio, lembrando sempre que é fundamental respeitar a distância máxima de 800 m.

*As plantas Bt são desenvolvidas com utilização de biotecnologia. O objetivo é torná-las resistentes a insetos-pragas específicos por meio da produção de uma proteína tóxica para determinadas espécies de lagartas, besouros, moscas e outras, mas sem oferecer riscos ao ser humano e outros organismos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *