Agricultura estelar

Agricultura estelar

Hoje em dia, os agricultores têm acesso a diversas tecnologias, pesquisas e técnicas para ajudá-los a tomar decisões mais assertivas durante todo o período da safra.

Mas isso nem sempre foi assim…

Em tempos distantes, há mais de 4 mil anos, quando as pessoas ainda andavam descalças por aí e os smartphones não estavam sequer perto de existir, os agricultores contavam apenas com a ajuda dos céus para se guiar. Nessa época, eram os movimentos dos astros, a posição do Sol e da Lua, os ventos, as nuvens e até mesmo a duração do dia e da noite que serviam de instrumentos-guias para os produtores.

O calendário gregoriano, aquele que conhecemos hoje em dia, ainda não estava formulado e, portanto, a passagem do tempo era calculada de forma bem diferente da que estamos acostumados. Cada civilização tinha sua própria maneira de controlar essas mudanças, mas, na grande maioria das vezes, a forma de entender o período pelo qual elas estavam passando era definida pela posição das estrelas e pelas condições climáticas. Por meio dessa noção, eles conheciam as melhores épocas para plantar e para colher. Conheciam as épocas de chuva, de cheia dos rios e sabiam quando se preparar para os períodos de estiagem.

Agora, talvez você esteja pensando: “Poxa, muito bacana… Mas isso não serve para nada hoje em dia, certo?”.

Errado!

É verdade que esse tipo de conhecimento não é algo essencial para o desenvolvimento dos cultivos na atualidade, mas saber interpretá-los pode ser de grande ajuda em determinadas situações. Principalmente para os pequenos agricultores e para a agricultura familiar, que muitas vezes não têm o mesmo acesso a todas as tecnologias disponíveis para os grandes agricultores.

Além disso, é uma ótima forma de dar aquela relaxada, não é mesmo? 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *