Abóboras que não causam medo: seguras antes, durante e depois do halloween!

Abóboras que não causam medo: seguras antes, durante e depois do halloween!

A versatilidade da abóbora é admirável: além do fruto, suas sementes, folhas e brotos são consumíveis. E ela também é usada como decoração em uma das festas mais populares do mundo nesse período do ano, o Halloween. Sua ligação com a data tem origem nas tradições irlandesas de celebração do final do verão: acender velas dentro das abóboras esculpidas afastaria maus espíritos e garantiria fartura.

Para garantir que as abóboras que você vai degustar ou usar para decorar a sua festa neste final de outubro se desenvolvam bem e cheguem bonitas e seguras até o mercado ou a feira, boas práticas de plantio, manejo e controle de pragas são fundamentais.

As principais pragas que afetam as plantações de abóboras são a broca-das-cucurbitáceas e a mosca branca que podem reduzir em até 40% a produtividade final da safra, um cenário digno de filme de horror para o produtor agrícola. Estas ameaças são especialmente encontradas em climas úmidos, com períodos de calor e chuvas, como o de boa parte do Brasil.

Agentes polinizadores: essenciais

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, estudos indicam que a temperatura ideal para a germinação das sementes vai de 25 ºC a 30 ºC e para o bom desenvolvimento dos frutos, de 18 ºC a 30 ºC. No nosso país, a abóbora japonesa (também conhecida como cabotiá) é a mais comum e é cultivada principalmente nos Estados do Sudeste, Centro-Oeste e Sul.

Mas seu plantio requer trabalho extra: a cabotiá é um híbrido cujo pólen é inviável, assim, para produzir frutos é preciso plantar junto a elas outra espécie que possui pólen em suas flores como as variedades de abóbora moranga. As plantas polinizadoras devem ocupar de 15 a 20% da lavoura e devem ser distribuídas uniformemente em toda a área cultivada.

E sabe quem são alguns dos responsáveis pela polinização? Agentes como abelhas e vespas. De acordo com os pesquisadores da Embrapa, o horário ideal para a polinização vai das 7h às 12h. Por isso, a aplicação controlada de inseticidas e mesmo a irrigação devem ser feitas à tarde. Seguindo essa simples recomendação já é possível contribuir para um final feliz mesmo no Halloween: ajudando a preservar o meio-ambiente com sustentabilidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *