Regras para descarte de embalagens vazias de agrotóxicos

Regras para descarte de embalagens vazias de agrotóxicos

Já abordamos diversas vezes a importância do uso correto dos defensivos agrícolas, seguindo recomendações de bula e aplicação – incluindo a importância do cuidado durante o manuseio e posteriormente a lavagem dos equipamentos utilizados. Agora, vamos chamar a atenção para outra prática importantíssima destes produtos. O descarte correto de suas embalagens após o uso.

Em todo esse processo, tanto agricultores, quanto os canais de distribuição, fabricantes e o poder público têm suas obrigações. Hoje mostraremos o papel do agricultor.

Antes de qualquer coisa, você precisa saber o seguinte: de modo geral, existem dois tipos de embalagens, as laváveis e as não laváveis. As laváveis são embalagens rígidas, normalmente feitas de material plástico, metálico ou vidro. São as embalagens que serão recicladas. As não laváveis incluem material flexível e embalagens secundárias. Estas serão incineradas após seu descarte.

Outra coisa que você deve saber: a legislação brasileira exige que todas as embalagens rígidas devam ser submetidas ao processo de lavagem antes de serem corretamente descartadas. Esta prática ajuda a eliminar os restos do produto e impede algum tipo de contaminação futura.

Mas é qualquer tipo de lavagem? Não!

Existem dois tipos de lavagem recomendados pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). São eles: tríplice lavagem e lavagem sob pressão. A tríplice lavagem, como o próprio nome sugere, consiste em preencher 1/4 da embalagem com água e sacudi-la durante 30 segundos. O processo deve ser repetido 3 vezes. No final deste procedimento, deve-se inutilizar a embalagem, fazendo furos no fundo do recipiente.

O outro método, a lavagem sob pressão, deve ser feito com o auxílio de uma bomba d’água. Neste, a pressão da água de encontro às paredes internas da embalagem já é suficiente para eliminar os possíveis resíduos de produto. Assim como no outro método, a embalagem também deve ser inutilizada por meio de furos em sua parte inferior.

Com as embalagens higienizadas, o agricultor agora terá que procurar a unidade de recebimento mais próxima (indicada no corpo da nota fiscal deste produto). Para isso, ele tem o prazo de até um ano, após a compra do produto. Caso não queira fazer isso imediatamente, o produtor terá de tomar alguns cuidados no armazenamento dessas embalagens vazias. São necessários locais cobertos, arejados e protegidos da chuva, necessariamente longe de residências e alojamentos, e nunca junto de alimentos ou rações.

Para gerenciar o Sistema Campo Limpo (logística reversa de embalagens vazias de agrotóxicos), existe o inpEV – Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias – fundado em 2001. O instituto representa a indústria fabricante de defensivos agrícolas em sua responsabilidade de dar destinação final às embalagens utilizadas de seus produtos e, atualmente, reúne mais de 100 empresas associadas e 9 entidades representativas da indústria.

Para saber mais detalhes sobre a instituição, acesse: www.inpev.org.br

Comentários

Comentários

4 comentários

  1. Danielle diz:

    Excelente artigo! Precisamos proteger o nosso meio ambiente! Ótimo artigo, bem escrito e inteligente. Sem duvida e necessário criar uma maneira de publicar mais estas boas praticas de reciclagem para a conscientização dos consumidores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

97 − 94 =